mandrágora

associação cultural fundada em cascais – no ano de 1979

Month: Julho, 2012

novo projecto de mandrágora – em processo

by domadordesonhos

os poemas emprestam-nos as suas imagens
e
em processo damos …………. a forma ………….. são os dois corpos na acção que desenham o esboço deste projecto de mandrágora

 

estamos …………….. ainda
…………………………. no caos

          o caos está presente e… o acaso talvez não exista ……………. qualquer coisa que ocorra, por mais insignificante que seja, poderá ter consequências imprevisíveis ……………… tudo se resume a uma cadeia de acções e efeitos que, ainda que nos escapem, estão interligados

a “evolução”, todavia, faz-nos parecer que existe um destino pré – estabelecido.

os sonhos …………………… os tempos perdidos ………….

os instintos provocam a demanda e ………………… o tecer de uma história fantástica onde o limite está especificamente situado no indivíduo que a protagoniza

cada acto
cada acção

será um portal aberto a espaços de reflexão, construção e experimentação.

          resumindo;

a acção poética em processo e em progresso ……………….. contempla relatos e, num primeiro olhar, transmite uma sensação semelhante à que produz uma mesa posta com conhecimento e gosto ……………….. enfim, que só pode proceder de uma natural relação entre a pessoa que a pôs
e
o acto.

“PELA LEONOR VERDURA” ………………. é o nosso (te)acto

e
esta acção ……………… não se constitui num sistema fechado

são muitas e nem sempre complementares, as vidas desta aventura poética

como informámos em mensagens anteriores, estão em cena a íris e o bruno – a “encenação” é do manuel

um novo projecto de mandrágora

by domadordesonhos

com “pela leonor verdura”, pretende-se uma viagem ao interior de um movimento que neste país ganhou alguma forma nos anos 60. um movimento/projecto que deu corpo àquilo que é a poesia experimental/visual portuguesa.
em “pela leonor verdura”… (verso de ana hatherly in “anagramático”) procuramos uma linguagem, na sua raiz, teatral/performativa. e, à semelhança dos autores escolhidos, nele se semeiam letras, na esperança da germinação da palavra e… percorrem-se os textos dos poetas (muitos)

uma acção de mandrágora em processo – com íris santos e bruno vilão a protagonizar a viagem criativa.

estação terminal: sociedade guilherme cossoul – estreia (tudo previsto para novembro de 2012)

Descalça vai para a fonte
Leonor pela verdura
Vai formosa e não segura



CAMÕES

descalça vai para a fonte. leonor pela verdura.
 para a fonte vai segura. leonor e não formosa.
 vai descalça. vai verdura. e não vai para a fonte.
 vai leonor. e vai descalça. pela fonte.
 para a descalça verdura. a fonte vai. descalça.
pela leonor verdura. pela segura. pela formosa.
para a descalça. pela e não vai. para a leonor.
vai e não para. pela formosa. não para a. 
fonte e leonor. vai não verdura. pela descalça.
 para a segura. e não para vai. não para a fonte.
 leonor para. segura vai. para a não descalça.

Ana Hatherly – 
Anagramático
1970, ed. Moraes

a poesia experimental portuguesa em acto dramático

by domadordesonhos

no “ânima” de 1999 apresentámos textos de: Ana Hatherly, Alberto Pimenta, António Aragão, Liberto Cruz, Jaime Salazar Sampaio, José Luis Luna, Fernando Aguiar, Almeida e Sousa, E. M. Mello e Castro, Salette Tavares, José Alberto Marques…

vamos agora acrescentar o josé oliveira, o césar figueiredo, o  armando macatrão… e, aguardamos mais colaborações. a encenação será do manuel e contamos com o bruno e a iris como performers para já… contamos ainda com a preciosa colaboração da sociedade guilherme cossoul. estreia prevista para novembro

poema de josé oliveira

poema de armando macatrão

poema de césar figueiredo (in: cartas comerciais tipo 1998)


edita – 20 anos

by domadordesonhos

20 anos de Edita – e para os celebrar é proposto o recuperar a memoria destes 20 anos, editando um livro com relatos dos intervenientes

Mandrágora partilhou…

Mandrágora participou neste evento desde a primeira hora —> assim